+
Geografia

Microclimas


Existem regiões da Terra que possuem um clima peculiar, restrito e isolado da região ao seu redor. São os microclimas.

Um exemplo simples é uma floresta equatorial: a temperatura externa chega a ser até 5° C maior que a temperatura interna.


A floresta equatorial é um tipo de formação florestal localizada nas regiões equatoriais, na zona intertropical, ou seja, próxima à linha do Equador.

  • Ilha de Calor: ocorrem nos centros urbanos, onde predominam o asfalto, o concreto, a poluição do ar, e, principalmente, a barreira criada pelos prédios altos, que impedem a dissipação do calor absorvido porque não há uma movimentação eólica suficiente. Em relação às áreas verdes dos bairros circundantes, a temperatura pode ser até 6° C mais alta.


Os centros urbanos tornam-se ilhas de calor

  • El Niño: consiste no aquecimento das águas do oceano Pacífico, no período compreendido entre a primavera e o verão, com intervalos variados (o que faz o El Ninõ um fenômeno recorrente, e não esporádico).
    Aquecida, parte da água evapora, ganha altitude e, levada por ventos de oeste, volta a cair em forma de chuva no oeste da América do Sul, particularmente no Peru e no Equador. Ao associar-se com as massas de ar da Antártida, provoca chuvas intensas no sul e sudeste do Brasil. Em contrapartida, a pluviosidade diminui no leste da Amazônia e a seca se agrava no Nordeste brasileiro. Dependendo da intensidade do El Niño, o fenômeno pode atingir partes mais longínquas, como a Europa Central (verões mais quentes) e sul do Canadá (inverno pouco frio);


Fenômeno El Niño

  • La Niña: apresenta o oposto do evento El Niño. Ao invés de se aquecerem, as águas do Pacífico se resfriam além do normal. Ocorre escassez de chuvas no Brasil e pluviosidade farta no Nordeste. Os ventos aumentam, elevando o nível das águas na costa da Indonésia e rebaixando-as na América do Sul.


Enchente no Nordeste do Brasil, efeito do fenômeno La Niña


Video: microclimas (Janeiro 2021).